Foi um presente de aniversário. Três dias depois de completar 20 anos, o piloto Gustavo Pessoa, da equipe Honda Ipiranga IMS, conquistou neste domingo o título de Campeão Brasileiro de Motocross, na categoria MX2. O português Paulo Alberto, da equipe oficial Honda Racing, foi vice-campeão da MX1.

A sétima e última etapa foi realizada na Arena Verde Forte, em Charqueada (SP), região de Piracicaba. Em duas baterias da grande final, Gustavo acelerou sua Honda CRF 250R e venceu as duas baterias.

“Foi o melhor presente de aniversário da minha vida. Sonhei muito com esse momento. A moto está perfeita. E se não fosse minha família e meus patrocinadores não conseguiria essa conquista. Todo esforço valeu a pena”, disse o paulista de Mogi das Cruzes, que no pódio, jogou champanhe no pai, que também é seu mecânico, Douglas e beijou a mãe Maura.

Para levantar o troféu, das 13 baterias realizadas em sete etapas, Gustavo venceu nove, ficou duas vezes em 2º, uma vez em 3º e foi uma vez 8º lugar.

Com a conquista, Gustavo mantém importante ascensão na carreira. Em 2009, foi 4º colocado no Brasileiro de 65cc. Em 2011, vice-campeão Brasileiro Júnior. Em 2012, campeão Brasileiro na 180cc. Em 2014, foi 5º lugar no Brasileiro na MX2. Em 2016 foi vice-campeão da categoria tanto no Brasileiro quanto no Arena Cross. E em 2017 sagra-se o melhor do País.

Neste ano, Gustavo alternou a participação nas etapas do Brasileiro com 8 provas nos Estados Unidos para adquirir experiência. “Ano que vem quero fazer outras provas internacionais novamente e defender esse título brasileiro”, frisou o jovem piloto.

O vice-campeão foi Fábio Santos. Em terceiro ficou Pepê Bueno.

João Ribeiro, da Honda Ipiranga IMS, terminou o campeonato em  5º na classificação geral (nas barterias da última etapa foi 7º e teve um abandono). Frederico Spagnol, da equipe Honda Ipiranga IMS, foi o 6º na competição (dois quarto lugares na final). E Leandro Pará, da Escuderia X, apoiada pela Honda, fechou a temporada em 8º (com 9º e 6º lugares na etapa derradeira).

O Campeonato Brasileiro de Motocross realizou provas nos Estados do Paraná, Santa Catarina, Minas Geriais, Mato Grosso do Sul, Goiás e São Paulo.

Em boa fase, Paulo Alberto garante o vice na MX1

O português Paulo Alberto, da equipe oficial Honda Racing, conquistou o vice-campeonato Brasileiro de Motocross, na categoria MX1. O piloto teve atuação fantásticas na reta final da competição, com cinco vitórias nas últimas cinco baterias (três em Campo Grande e duas em Charqueada).

Paulo Alberto comemorou a segunda posição geral. “Foi um fim de temporada espetacular. Tivemos a felicidade de acertar a moto e fazer boas corridas. O ano que vem vamos atrás do título”, disse o piloto que completa 27 anos em janeiro e desde 2013 compete no Brasil.

O campeão da MX1 foi o espanhol Carlos Campano. O equatoriano Jetro Salazar, da Escuderia X, equipe apoiada pela Honda, ficou com a 3ª posição na classificação geral. O piloto de 26 anos defendia o título brasileiro, mas não foi bem nas últimas etapas.

Na final em Charqueada, caiu no início da primeira bateria e fez corrida de recuperação. Terminou em 6º. Na segunda bateria, ficou em 4º.

Piloto oficial Honda Racing, Hector Assunção imprimiu bom ritmo na etapa final. Conquistou um segundo lugar e um terceiro. No ranking, acabou a competição em 6º.

Lucas Dunka, da Escuderia X, acabou o Brasileiro de Motocross em 8º lugar, após um 9º e um 11º lugares nesta última etapa.

MX2 Júnior

Na MX2 Júnior, Leonardo Nunes, da Escuderia X, foi vice-campeão. Precisava vencer as duas baterias e torcer para tropeço de Tallys Britto. Leonardo venceu uma e foi segundo em outra. TAllys venceu uma bateria e ficou com o título.

Classificação geral MX1

1º Carlos Campano

2º Paulo Alberto

3º Jetro Salazar

6º Hector Assunção

8º Lucas Dunka

Classificação geral MX2

1º Gustavo Pessoa

2º Fábio Santos

3º Pepê Bueno